quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Evidências apontam que Estado Islâmico plantou bomba em avião russo, dizem autoridades



  As evidências agora sugerem que uma bomba plantada pelo grupo Estado Islâmico é a causa provável da queda de um avião russo da Metrojet no sábado sobre a península do Sinai, no Egito, disseram fontes de segurança norte-americanas e europeias nesta quarta-feira.
As fontes salientaram que não chegaram a uma conclusão final sobre a queda da aeronave. O Airbus A321M caiu no sábado no Sinai logo depois de decolar do balneário de Sharm el-Sheikh em direção à cidade russa de São Petersburgo, matando todas as 224 pessoas a bordo.
O Estado Islâmico, que controla regiões no Iraque e na Síria e combate o Exército egípcio na península do Sinai, afirmou novamente nesta quarta ter derrubado o avião, acrescentando que contaria ao mundo como realizou o ataque.
O Egito, aliado próximo dos Estados Unidos e o país árabe com maior população, rejeitou um comunicado similar pelo grupo no sábado.
Mais cedo, uma fonte egípcia próxima à investigação disse à Reuters que uma explosão provavelmente causou a queda do avião russo no Egito, mas que ainda não estava claro se a causa foi uma bomba ou problemas técnicos.
“Acredita-se que tenha sido uma explosão, mas não está claro de que tipo. Há um exame da areia no local da queda para tentar determinar se foi uma bomba”, afirmou a fonte egípcia, que é próxima da equipe que investiga as caixas-pretas.